Gibeli Refrigeração

DICAS:

Competitividade no setor de bebidas será assunto de destaque no 2º Confrebras

Durante o mais importante evento de bebidas do Brasil, especialistas mostrarão os efeitos negativos da alta carga tributária no setor

Não é nenhuma novidade que o Brasil tem uma das maiores cargas tributárias do mundo, de aproximadamente 35% do PIB, ficando à frente de países como Espanha (33%), Canadá (32,2%), Suíça (29,4%), Irlanda (28,3%), Estados Unidos (26,9%), Turquia (23,5%), México (20,4%) e Japão (17,6%). Os dados foram apresentados em setembro do ano passado e levam em conta informações apuradas em 2008 entre os países-membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Também não é nenhuma novidade que a alta carga tributária faz com que os produtos se tornem mais caros para o consumidor final. E, naturalmente esse cenário não poderia ser diferente com o setor de bebidas.

No dia 13 de junho, a Receita publicou no Diário Oficial da União as tabelas com os novos preços de referência para tributação de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Programa de Integração Social (PIS) e Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) das chamadas ?bebidas frias?, que englobam águas, refrigerantes e cervejas. Essa foi a primeira correção nos preços de referência, desde o início de 2009. Apesar de não ter ocorrido aumento na alíquota, a correção nesses preços levou em conta a variação do preço ao consumidor no período, e fez com que aumentasse ainda mais a carga tributária do setor.

O presidente da Associação de Fabricantes de Refrigerantes do Brasil (Afrebras), Fernando Rodrigues de Bairros, comenta que a questão da revisão da estrutura tributária brasileira no setor de bebidas tem sido alvo de intensos debates no País. ?Existe consenso dentro do segmento de que a mesma deve ser modificada. Contudo, a existência de interesses conflitantes dos agentes envolvidos tem dificultado a implementação dessas mudanças. Nesse impasse, os pequenos produtores são os que mais sofrem em função da alta carga tributária?, afirma.

E é justamente com o propósito de obter uma redução na carga tributária e lutar para que as bebidas de pequenos fabricantes se tornem mais competitivas no mercado é que a Afrebras realizará o 2º Congresso Brasileiro de Bebidas (Confrebras), de 8 a 10 de novembro, no Centro de Convenção Ulysses Guimarães, em Brasília – DF.

?A expectativa para essa edição do Confrebras é enorme?, declara Bairros, enfatizando que durante o evento, o tema ?carga tributária? será debatido por renomados especialistas do setor, que deixarão claro para a sociedade a série de efeitos negativos decorrentes desse problema. ?Nosso objetivo é mostrar que o desenvolvimento econômico e competitivo do setor depende muito dos pequenos produtores – que são a maioria -, e não é justo penalizá-los com uma carga tributária maior que a das grandes corporações. Entendemos que a concorrência hoje no mercado se dá em função da existência das pequenas empresas e, ao tirá-las do mercado, quem perde é a sociedade brasileira?, argumenta Bairros.

Está previsto a participação de mais de 7 mil pessoas, dentre as quais destaque para representantes de entidades, autoridades governamentais, fornecedores de insumos e fabricantes de bebidas. Além de contribuir para unir e organizar o setor, o Confrebras 2011 é o único congresso do Brasil que tratará de temas fundamentais à sobrevivência do mercado de bebidas, como oportunidades de negócios, concorrência, tecnologia, mercado e novas tendências, e, com certeza, contribuirá para o desenvolvimento e crescimento do setor. ?Durante o evento, os participantes terão a oportunidade de aumentar seu entendimento, melhorar seus negócios e unir-se para lutar por condições mais justas e igualitárias no mercado?, finaliza o presidente da Afrebras.

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/competitividade-no-setor-de-bebidas-sera-assunto-de-destaque-no-2%C2%BA-confrebras/270865/